O dia em que acordei às 6h para comprar batatas Stax ou Happiness, por Rosal.

O dia em que acordei às 6h para comprar batatas Stax ou Happiness.

 

Há um dia que berra. O dia em que acordei às 6h para comprar batatas Stax por menos da metade de seu valor de mercado. Fora semana passada, entretanto ouço seu eco por meses. Nos bolsos, nas lentes, no vidro, no aço de toda a cidade. Além dela, por todo estado. Além dele, por todo Brasil, todo continente – ecoa o Ocidente inteiro. Os ouvidos atentam ao brado: franceses, holandeses, mexicanos, irlandeses, uruguaios, americanos tímpanos, etc..
O ano atento como o rouco locutor no instante de corte no tempo: a bola do camisa 10, Diego, flutuando sobre a linha branca das traves vascaínas (nas quais o nome do goleiro é desimportante) no momento fotográfico anterior ao balançar de redes. 1×0 Flamengo aos 48 do segundo tempo. Tudo atento. Daqui ouço o esgoelar-se do radialista carioca e milhares de quilômetros nos distanciam. Fim de jogo. Aguardemos a próxima partida.
É sexta-feira, amor – como na música de Cícero Lins. A algazarra é feita na sexta. Dólares invadem os reais do humilde Shopping Parnaíba. O estandarte fora a meia-noite na loja vermelha próxima a Praça de Alimentação. O grito contido durante um ano de repente estardalhaça sobre prateleiras e televisores de LED. Que diria Daltro e a Loucura de Erasmo?
O elogio supremo a um vício. As precisas palavras de Erasmo entornam-se em cada passo adentro do escarcéu das lojas de atacado. Palavras invisíveis, algoritmos e alfarrábios de preços no suor respingado nas vitrines vazias (seca e fede o suor).
Horácio, poeta macauense:

à dor inquietante
da existência

oponho

minha declaração
de bens
patrimoniais:

a poesia
o amor
a morte

três reservas inesgotáveis
e nada mais

E eu, sob sua égide:

os pobres em verdade
consolam-se por seus bens
objetos inquebráveis
os corações quebrantáveis

Destituem-se os homens, encenam-se os ratos. Não é meu o comparativo, dita a justiça, é de Steve Cutts, em Happiness, o curta-metragem.
Questiono-lhe, prezado irmão roedor cujo os olhos saltam minhas linhas, ouves o eco do que grita? Sabes o nome desta voz?

 

Rosal.

Link de Happiness: https://www.youtube.com/watch?v=e9dZQelULDk&oref=https%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3De9dZQelULDk&has_verified=1

Deixe seu comentário