Poesia de Jailson Júnior: Dedicatória

Como se fosse o mar
Desde à flor
Até hoje à noite
Como amanhã e sempre
Como coisa sem pedido
E martírio
E revoada
E talvez uma frase ainda não feita
E a rima sem companheira
Solitária e desnuda
Assim são os amores e suas vidas
Fins xilografados neles mesmos
Travo e memória
E sal e sol e céu e seu
Pois todos os meus poemas são teus.

Jailson Júnior