Poesia de Marciano Junior: Vermes Desgraçados

Me sinto só em uma cidade lotada de pessoas
Pessoas que lhe rotulam pela roupa que veste, observam se anda de carro ou a pé
Lhe julgam ao ver subindo em uma van
Ressalto que de dentro dessa van vejo coisas lindas que você não ver de dentro do seu carro com ar condicionado
Que apesar desses seus julgamentos, estamos em uma constante luta para nos tornarmos revolucionários
Você me julga pelos meus erros do passado, mesmo que eu tenha aprendido com eles e mudado
Peço que me deixe sozinho com meus erros e vá embora com sua santidade
Você julga um irmão que emana uma orientação sexual, cor e classe social diferente da sua
Querem derrubar as pessoas por um sucesso que tanto lutaram
Mas apesar de todas essas suas medidas, lhes desejo liberdade
Liberdade de atitudes e pensamentos escrotos que apodrecem a cidade
Mais humanidade, por favor!

Marciano Junior