QUEM ÉS TU? por Daltro Paiva

– À vaidade que tenho visto no meio literário parnaibano –

 

Aonde te levará toda essa vaidade, ó poeta?

És por acaso o melhor dentre os homens de letras?

 

Pensas duas vezes. Pensastes?

Então pensas novamente.

 

De que adianta conquistares teu público, se feres teus irmãos em versos?

De que te servem toda a pompa e glória?

 

Que saber é esse que te faz assim tão melhor?

O que diria Desidério Erasmo a este respeito?

 

Se teus versos não te libertam, nem tua letra te faz enxergar,

por que tentas tocar os corações de teus leitores?

 

Estás mesmo interessado em tocar corações ou te interessas

apenas pela própria imagem refletida em outros olhos?

 

O que queres?

Aonde vais tão solitário?

 

Quem és tu? Quem és tu, ó poeta?

Quem és tu, meu irmão?

 

 

 

Tela de Jan Matejko (1838 – 1893), pintor polonês.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO