Série de poemas dedicados a Pablo Picasso em sua fase azul. (2/3) soneto branco da saudade em Málaga, por Gustavo Rosal

calavam-se as palavras
na nostalgia dedilhada
por um velho sem morada
na sarjeta de Málaga

traduzia saudade
onde habita sua pena
a mais lusitana palavra
para a língua espanhola

em que saudade não se fala
mas se encontra intacta
no chorar de uma viola

no baile apaixonada
das labaredas aladas
do bater das castanholas

Gustavo Rosal
Fonte da imagem: web