Série de poemas dedicados a Picasso em sua fase azul. 3/3 dedicado também ao caríssimo poeta e amigo Alexandre César.

soneto branco das trevas em Valência.

não é a noite negra
como a treva ser se pensa
os olhos farsam
é anil a noite imensa

são duas essências
uma taça em Valência
secou-se o tinto da picassa
de tão imensa a treva farsa

dorsais e a erma taça
imensa máscara picassa
solidões compartilhadas

entretanto se em Valência
e se a poesia mais imensa
seríamos nós as trevas [poeta Alexandre César

Gustavo Rosal

Fonte da Imagem: web