As 150.000 vozes de um cara!

Fala, Parnaíba (Piaguiense)!

      Ah, Internet (sua linda)! Como viver hoje em dia sem você? Caixinha viciante de surpresas do melhor e o do pior, reveladora de tantas figuras, talentos e atitudes em tempos geralmente tão desvairados, mas que podem também surpreender, espantar, causar, por assim dizer. No instante em que a gente se depara, como diria o outro, com uma invenção aqui e outra acolá, que nos tira do lugar comum, do costumeiro, e nos causa admiração de olhos a arregalar, fazendo a gente fique com aquela cara boba e desconcertada (de mão no queixo pra não deixar o bichinho cair) levando a proferir um mais que singelo: Olha aí! Embasbacados, e ao mesmo tempo tão despertos, não apenas pela preciosa dose de criatividade existente em tais ditas criações, mas principalmente, e no caso daquilo que venho lhes falar hoje, pela imparcialidade, tão rara no ser humano e em meios de divulgação existentes, seja no ambiente impresso ou virtual.

      Falo de A Voz do Cara, página de humor do Facebook criada no ano passado, e que recentemente também anda dando o ar de sua graça no Youtube. Criatividade e ousadia são algumas das qualidades desta última grande novidade, que segue, a cada post, seja de vídeo, imagem ou simples (mas consciente e hilário) texto, a demonstrar uma incrível capacidade de comunicação, não apenas com o jovem, mas com todos aqueles que se preocupam com esta cidade linda e litorânea, que já viu surgir de sua entranha muita coisa que presta, mas que muitas vezes segue ofuscada, devido a lamentável e maldita cultura do Eu em detrimento do Nós.

      Utilizando – se de imagens da internet junto a uma voz anônima (ou seriam vozes?), por vezes irônica (irônicas?), ao abordar fatos, dos mais curiosos aos lastimáveis que circulam pelos blogs e espaços virtuais de Parnaíba (ou como O Cara costuma escrever em suas postagens: PHB City), segue compartilhando acontecimentos dos mais diversos, que vão desde a tão falada, e até hoje não concretizada, reforma da Ponte Simplício Dias, passando pela atuação da polícia frente aos traficantes e demais transgressores da lei e até mesmo em homenagens e menções descontraídas à esta cidade e os personagens que nela habitam.

      E eis que a página foi entrevistada pelo Piagui, que até pensou em perguntar a identidade por trás do Cara, porém raciocinou um bocadinho mais, e achou por bem deixar quieto, pois afinal, realmente importa? Preferindo se restringir a poucas perguntas, que foram devidamente respondidas. A primeira foi sobre a grande (e boa) repercussão que a página vem tendo (já contando com quase 10 mil seguidores): “Começamos os textos apenas como uma forma de expressar nossa interpretação das matérias veiculadas nos sites de PHB City. A partir daí as pessoas foram tomando conhecimento, e o mais bacana, gostando”.

      De forma imparcial e escrachada, a Voz do Cara também acompanha o desenrolar político parnaibano, o que acaba agradando a maioria, mas que não escapa ilesa de algumas críticas, principalmente de alguns partidários que já chegaram a acusar a plataforma de ser tendenciosa, no que a Voz rebate: “Basta assistir a todos os vídeos (…) Não temos ligação política com ninguém. Somos, única e simplesmente, do lado de PHB City”.

      Bem produzido e consciente, por vezes até nostálgico, A voz também nos revelou o desejo de que em Parnaíba voltasse a existir muitas coisas legais que hoje viraram, ou estão quase a virar, pó. O que acaba reforçando o velho e trágico (também questionado) mito da Parnaíba do Já teve.

      Porém, ao mesmo tempo que muito de bom já se perdeu em nossa outrora pacata, mais ainda saudável de se viver, Parnaíba; muito também surge de interessante (até mesmo empolgante), como é o caso de A Voz… Ou melhor, “as mais de 150.000 vozes, a voz de cada Parnaibano, em Parnaíba ou qualquer canto do mundo. É até mesmo você, que está aí, parado, a ler nesse momento”.

      Tchau.

Claucio Ciarlini (julho de 2017)

DEIXE SEU COMENTÁRIO